May 12, 2020

May 12, 2020

May 12, 2020

Please reload

Posts Recentes

Recomendações sobre COVID-19 de acordo com a CNA

March 18, 2020

1/9
Please reload

Posts Em Destaque

Atemóia

May 12, 2020

 

 

A atemóia é um híbrido (Annona cherimola Mill x Annona squamosa, L.) que possui algumas das boas características da cherimóia associadas a outras da fruta do conde. Seu cultivo é bastante recente e por enquanto não existem informações, conhecimentos e tecnologias suficientes para dar sustentabilidade a esta fruteira desenvolvida com o uso da irrigação. Vislumbra-se, porém, um potencial de demanda da atemóia para consumo “in natura”, no mercado interno. Por isso, a área cultivada está crescendo.

Atualmente, a atemóia está sendo cultivada no Estado de São Paulo, no norte do Paraná, Minas Gerais, Bahia e Pernambuco, tendo sido introduzida inicialmente nos dois primeiros estados.

 

Clima e Solo

 

A atemóia desenvolve-se melhor quando a média da temperatura máxima varia entre 22º a 28ºC e a média das mínimas está entre 10º a 20ºC, enquanto a temperatura ótima para a maturação dos frutos situa-se em torno de 20º a 26ºC (Tokunaga, 2000). Scchraeder (1943), citado por Kavati (1996), comprova que o pegamento dos frutos de atemóia em condições de temperatura amena (27ºC) com alta umidade relativa do ar (80º) é melhor que em altas temperaturas (30ºC).

 

Espaçamento

 

O espaçamento de plantio tem variado de 4,0 x 3,0m até 6,0 x 4,0m . Temse utilizado o plantio de atemóia intercalado entre plantas de mangueira, goiabeira e pinha também conduzidas sob poda. Neste caso tem-se utilizado o espaçamento mais adensado de 2a 2,5 m entre plantas. As covas de plantio devem ter as dimensões de 40 x 40 x 40cm e deve-se colocar de 15 a 20 litros de esterco de caprino/ovino e mais ou menos 300 gramas de superfosfato simples por cova.

 

Preparo do Solo e Plantio de Mudas

 

Recomenda-se utilizar como fonte de N e K, o Nitrocálcio e o sulfato de potássio respectivamente. Outro elemento imprescindível é o boro. A deficiência, segundo Tokunaga (2000) é responsável pela formação pétrea na polpa que tem início ao redor da semente e pode tomar todo o fruto, depreciando o produto. A deficiência de umidade do solo pode provocar a aceleração da deficiência do boro disponível para a planta. Como precaução, deve-se incluir esse microelemento junto à mistura de fertilizante, na fundação ou via foliar ou via fertirrigação, utilizando como fonte o ácido bórico.

 

Adubaç